"Louis Eugène Boudin na Coleção dos Barões de São Joaquim"

Dimensões: 18 x 25.5 cm

Número de páginas: 72

Catálogo da exposição realizada no Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, de 28/set/2004 a 30/jan/2005, sob a curadoria de Zuzana Paternostro.

 

"A mostra "Boudin na Coleção dos barões de São Joaquim" permite ao público do Museu Oscar Niemeyer (MON) o entendimento não só de um movimento da História da Arte, mas de dois movimentos artísticos decisivos para o desenvolvimento dela. Considerando o "pai do Impressionismo", por ter instruído o jovem Claude Monet (1840-1926) foi, de fato, percursor do maior e mais popular estilo pictórico do século XIX. Com esse feito, Louis Eugène Boudin (1824-1898) foi o artista que abriu as portas da investigação para a pintura moderna.

A coleção, procedente do acervo do quase bicentenário Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), se constitui no maior conjunto de quadros do artista, fora da França, de posse do poder público. Ultrapassam-na apenas as coleções francesas existentes em Honfleur, no Havre, e a do Louvre, em Paris. Incluída no Catálogo Raisonné da obra de Boudin, publicado na França em 1973, é uma das coleções de quadros mais conhecidos do Museu Nacional de Belas Artes, frequentemente solicitada e exposta no Brasil e no exterior."

Catálogo Louis Eugène Boudin

R$30,00 R$15,00
Catálogo Louis Eugène Boudin R$15,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • MON Loja Rua Marechal Hermes, 999, Curitiba Atendimento de Terça à Sexta das 10:00 às 17:30

    Grátis

"Louis Eugène Boudin na Coleção dos Barões de São Joaquim"

Dimensões: 18 x 25.5 cm

Número de páginas: 72

Catálogo da exposição realizada no Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, de 28/set/2004 a 30/jan/2005, sob a curadoria de Zuzana Paternostro.

 

"A mostra "Boudin na Coleção dos barões de São Joaquim" permite ao público do Museu Oscar Niemeyer (MON) o entendimento não só de um movimento da História da Arte, mas de dois movimentos artísticos decisivos para o desenvolvimento dela. Considerando o "pai do Impressionismo", por ter instruído o jovem Claude Monet (1840-1926) foi, de fato, percursor do maior e mais popular estilo pictórico do século XIX. Com esse feito, Louis Eugène Boudin (1824-1898) foi o artista que abriu as portas da investigação para a pintura moderna.

A coleção, procedente do acervo do quase bicentenário Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), se constitui no maior conjunto de quadros do artista, fora da França, de posse do poder público. Ultrapassam-na apenas as coleções francesas existentes em Honfleur, no Havre, e a do Louvre, em Paris. Incluída no Catálogo Raisonné da obra de Boudin, publicado na França em 1973, é uma das coleções de quadros mais conhecidos do Museu Nacional de Belas Artes, frequentemente solicitada e exposta no Brasil e no exterior."